Feeds:
Posts
Comentários

Archive for março \16\UTC 2010

Uma das semelhanças (olha que são várias xD) entre o garfield e eu, é o nosso vício por café. Então seguindo o compilado garfield-coffee do ano passado, seguem mais tirinhas com nosso amado gato. I s2 coffee *-*

 

 

 

  

 

 

 

 

 

  

Read Full Post »

Esses dia vi uma twittada de uma amiga que tinha algo sobre ColheitaFeliz/mãe/ironia/crítica/HarvestMoon, acho que mais ou menos com esses termos…

Fiquei refletindo sobre isso, e sobre esse boom de joguinhos (que até sua mãe, tia, vó estão jogando) que surgiram nas redes sociais, Colheita Feliz, Mini Fazenda, Farmville e por aí vai… E como as pessoas que sempre te criticaram pelo seu vício, hoje fazem praticamente a mesma coisa.

Aí eu lembrei de que quando eu ficava horas e horas no meu Game Boy Color jogando Harvest Moon. Muita gente me perguntava qual era a graça de ficar jogando um joguinho que simula a vida na fazenda, de arar terra, plantar, regar, vender, criar animais, ser fazendeiro. E por mais que eu tentasse explicar que eu gostava daquilo, que eu achava o máximo poder ter a minha fazendinha, começar com uma galinha e depois de um tempo ter um belo dum gado com a melhor produção de leite da cidade, a única coisa que ouvia era um “Nossa, realmente você é esquisita… Gostar de uma coisa dessas, que coisa mais sem graça! E chata!”. 

E eu na minha esquisitice ficava lá, em um cantinho jogando sem muito me importar de ser taxada de estranha, esquisita e até mesmo anormal, afinal de contas eu sempre gostei de coisas da cultura nerd/otaku/gamer, então já estava mais que acostumada com esses tipos de comentários.

Atualmente, filosofando sobre o comportamento humano, vejo como certas coisas que antes consideradas como coisa de gente estranha, hoje são mais do que pop. Que o papel se inverte, e ser o esquisitinho da turma é não jogar o tal Colheita Feliz, “Mas como assim você não joga? Tá todo mundo jogando seu desatualizado, é o joguinho do momento, tu vive em que mundo?”. E você, caro amigo, que antes era taxado de anormal por gostar de um joguinho chato que imita a vida pacata da roça, mais uma vez é o estranho da turma.

Pensamento vai, pensamento vem, acabei lembrando de outra coisa que virou pop atualmente, que sempre curti e era muito criticada por isso, os vampiros… Ah os vampiros… Como tinha gente que me olhava de cara torta quando eu falava que achava vampiros seres lindos, maravilhosos, extraordinários, magníficos. Na minha mente eles sempre foram assim, e muito antes de aparecer vampiros românticos mamãocomaçúcar purpurinados.

Foi então que percebi que aquilo que é normal é aquilo que lhe convém. As pessoas só acham normal, aquilo que só lhes interessam, coisas que no momento não fazem parte do seu padrão é coisa de gente anormal. Você gostar de uma coisa meio underground é coisa de gente estranha, porque quase ninguém conhece, ou melhor, só um pequeno nicho conhece.

E se um dia essa coisa se tornar popular, ah meu amigo, anormal passa a ser não conhecê-la.

Isso foi apenas um desabafo de uma pessoa que sempre foi nada normal 😛

Read Full Post »