Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Filmes’ Category

Ô feriado bom esse… A única coisa boa do carnaval, para mim, são os dias de folga em função desse feriado… Afinal, para alguma coisa ele tinha que prestar. Pois é, eu não gosto de carnaval!

Então, esse tempo todo em casa e o que fazer?  Bem, como semana passada chegaram uns livros, resolvi ler Crepúsculo, já estava na hora né, tá, eu enrolo um pouco para comprar, mas é que eu  já aprendi que livro sempre abaixa o preço, então é só segurar um pouco a ansiedade que dá para economizar um pouco… e logo, comprar mais livros 😉

Comecei a ler o livro sexta a noite e terminei no sábado de madrugada, confesso que não gosto muito disso, mas só consigo parar de ler algo que gostei depois que termino e pronto. Foi assim com os livros de Harry Potter, com os de Dan Brown, Memórias de uma Gueixa, O Pacto, O caçador de Pipas, A menina que roubava livros e por aí vai…

Bom não vou ficar falando sobre o que é a história do livro (mesmo porque se você não sabe, em que mundo estava ano passado? o.O), caso não saiba, o site do livro é bem legal, e tem a sinopse lá. Então vamos falar sobre algumas coisas que pensei quando li o livro e vi o filme (em geral, as adaptações eu gosto de assistir só depois de ter lido o livro…)

 crepusculo_

 

Primeira coisa, ouvi que a Série de Stephenie Meyer seria como a rival de Harry Potter. WTF? OK, os dois fazem sucesso com o público infanto-juvenil, até mesmo com adultos e etc, mas o que quer dizer que uma veio para “acabar” com a outra? Como assim? Que disputa boba. Se eu gosto de Harry Potter não posso gostar de Crepúsculo? As pessoas tem mania de comparar laranjas com bananas… São histórias completamente diferentes, com essências diferentes… Não é porque eu sou fã de uma que tenho que me privar de ler/ver a outra. Eu parei e pensei nisso, e lembrei de uma coisa,  na época que estreiou Yu Yu Hakusho na TV, eu simplesmente me negava a ver porque achava que era uma cópia barata de Cavaleiros do Zodíaco. Besteira de mentalidade infantil, que hoje eu admito que não passou de idiotice da minha cabeça, afinal quem só tem a perder com isso, sou eu. Então, se tiver algum fanboy de Harry Potter por aí, aconselho que antes de ficar de mimimi e falar mal de Crepúsculo, e negar veementemente a acompanhar a série, que pense bem, pois poderá se privar de uma ótima série.

 

Hammm, uma história sobre… Vampiros… Bem, sempre tive um fascínio por este ser morto-vivo, vai saber de onde veio isso… Uma coisa que me chamou a atenção no livro foi a personificação que a autora deu para os vampiros, o físico deles, o modo de se vestir, que pareceu muito com a minha idéia de vampiro. Nunca vi este personagem como um monstro, tipo na minha mente sempre achei os vampiros seres a nível de Deuses, lindos, inteligentes, fortes, poderosos, ricos, bem vestidos… No entanto, minha personagem quando eu jogava Vampiro – A Máscara, lembrava bem a Trinity de Matrix, óculos escuros, sobretudo preto, botas, etc… (me ocorreu um flashback de uma festa à fantasia que fui, anos atrás, de sobretudo preto e óculos escuros, tenho que apagar essas coisas da memória…)

 

Outra coisa que percebi bastante, como muitos classificaram o livro de livro de menina. Parei para pensar sobre isso, livro de menina… Qual seria o motivo disso? Só por que envolve romance? Mas depois de ler o livro logo percebi, para mim ficou bem claro. O livro é escrito por uma autorA, logo ela, como mulher sabe muito bem o que as mulheres buscam em um homem. O modo como ela descreve toda hora o Edward, um ser lindo, voz aveludada, forte, misterioso, educado, protetor, e isto é só uma parte. O Vampiro ainda faz coisas assim, que a maioria dos meninos dizem ser besteiras de mulherzinha, mas que deixaria qualquer garotinha de 15 anos apaixonada. Afinal mulher não é tão difícil de se entender assim como os homens acham. Veja bem, o cara tá ali, interessado em saber quem você é, as coisas que você gosta, ou seja, qualquer coisa e o máximo sobre você, tá ali para te pegar e levar para a escola, te esperando nos intervalos das aulas, não dá mínima para a garçonete que sai puta ao perceber que ele só olha pra ti, o cara invade teu quarto todas as noites só porque gosta de te ver dormindo (isso antes de você saber), e quando você percebe ele fica ali, deitado do seu lado (sem más intenções) conversando contigo até você cair no sono, sem falar que ele sempre te salva quando você se mete em perigo. Coisas simples, que creio eu, não dói para ninguém fazer, e sim, essas coisinhas simples podem fascinar uma garota. Acho que o que não agradou aos garotos, foi justamente isso, a perfeição do Edward. Cheguei a ouvir o seguinte comentário: ah se vai levar a paquera no cinema, não leve para ver Crepúsculo porque ela sequer vai olhar pra você durante o filme de tão fascinada que vai estar pelo Edward.”

 Homem tem essa mania de querer ser o melhor em tudo e ao ver que não chega nem perto da perfeição do Edward, ele arruma uma desculpa, “Ah esse livro é um porre, o filme é um saco, coisa de mulherzinha…”. Sinceramente, se eu fosse homem, deixaria esse machismo barato de lado, e em vez de ficar de mimimi falando mal de um personagem fictício, tentaria entender o que as garotas viram de tão fascinante neste personagem e tirava algum proveito disso. Então rapazes, em vez de ficar espalhando que a história é uma droga, tente aprender alguma coisa com o Edward.

 

crepusculo-capaO filme. Errr, o filme… Como sempre, como já era esperado, adaptações nunca vão conseguir retratar toda a história do livro. Afinal, a duração não permite e essas coisas… Por isso eu sempre digo, leia o livro e depois veja o filme. Confesso que ao ver o filme, senti falta de muitas partes, me pareceu tudo muito corrido, cortando partes que eu achei importantes. Aí você pode pensar, mas você acabou de falar que é impossível se falar tudo que tem no livro, sim, é verdade. Mas nem por isso precisa ficar um vazio no meio da história, se eu tivesse visto só o filme, a acharia meio ridícula. Por outro lado, sempre gosto de ver o filme também, ver os personagens que imaginei antes (e que na maioria das vezes nunca se parecem com os atores escolhidos para o papel), os cenários, até mesmo o que mudou em comparação com o livro.

Ah e uma coisa que achei estranho, eu sempre leio o livro antes de ver o filme, e dessa vez por causa da popularidade toda do filme e tal, quando li a história já estava com as imagens dos personagens principais do filme na cabeça, já tinha visto os cartazes. Mesmo que na hora de ler eu tentasse imagina-los do meu jeito, no fundo já tinha uma noção dos dois… Se bem que, mesmo assim, na minha cabeça o Edward era bem mais que o Robert Pattinson.

 

E… Chega de falar né… Fica aí para quem não leu, a minha recomendação do Crepúsculo, eu já sabia que iria adorar a história, por isso esperei, pois teria que ter tempo para devorar o livro… Essa semana vou encomendar o segundo livro da série Lua Nova. Recomendo também o filme, que apesar de não ter me impressionado muito, vale à pena a conferida.

 

E para finalizar, se eu tivesse a oportunidade de virar Vampira, eu não pensava duas vezes xD

Anúncios

Read Full Post »

legenda

 

Ahh, quem é viciado em séries como eu, provavelmente na semana passada acompanhou o drama de alguns sites de Legendas, como o Legendas.TV e o InSUBs.  Pois é, a tal da APCM (Associação Anti-Pirataria Cinema e Música) resolveu combater a pirataria atacando os sites de legendas, como se isso fosse resolver algo e como se legendar fosse, tipo assim, um crime… Sinceramente, o povo tem cada medida para tentar acabar com a pirataria, que acho que  as vezes eles trocam os pés pelas mãos e acabam é ferrando principalmente aqueles que compram os produtos originais…

Então, com uma proposta bem legal, respondendo ao combate com classe, o InSUBs lançou a Campanha: “QUEREMOS CULTURA! QUEM USA LEGENDA TAMBÉM CONSOME!”, onde podemos enviar nossas coleções de DVD’s/CDs que estão sendo colocadas nesta galeria. As fotos podem ser enviadas para o email: contato@insubs.com.

 Bom eu enviei apenas algumas fotos das coleções que tem aqui em casa, se fosse tirar foto de TODOS os DVDs que tem aqui, precisaria de bastante tempo, quem já veio aqui em casa sabe muito bem como minha casa é organizada, tem DVDs e CDs (maioria do meu pai) espalhados para tudo quanto é lado (agora são os blu-ray que estão invadindo a casa xD). As fotos são principalmente da estante que fica no meu quarto, então são as séries que eu comprei/ganhei.  A foto com a coleção de Friends é da estante da sala (que tem duas estantes, a outra não deu para tirar foto…).

 Se você gostou da campanha, participe também! 😛

  campanha1

campanha2

 campanha3

campanha4

Read Full Post »

Pois é, o Serginho e a Naone, reclamaram que só posto sobre jogos e blablabla… Então como hoje vi esse filme e gostei muito, resolvi postar sobre ele.

Tada, Kimi wo Aishiteru, tradução: ‘Simplesmente, te amando’, com título internacional de Heavenly Forest, conta a história de Makoto (Tamaki Hiroshi) um cara meio tímido, que tem como hobby tirar fotos. Ao ingressar na faculdade, a primeira pessoa que tem contato é a estranha e pequena Shizuru (Miyazaki Aoi), que logo se apaixona por ele. Os dois se divertem tirando diversas fotos em uma bela floresta nos arredores da faculdade. Porém, Makoto está gostando de outra colega de turma, a bela Miyuki (Kuroki Meisa). Mesmo triste, Shizuko apoia os dois e se interessa por fotografia, hobby de seu amado, assim ela e Makoto fazem uma promessa de participar de uma competição de fotografia e o final vocês conferem assistindo… xD

Se falar demais sobre o filme estraga… Só aviso que, a história é linda demais, seguindo o subgênero “Pure Love” de filmes românticos. O filme é de 2006, e a música tema do filme é Renai Shashin  da Ai Otsuka.

Não preciso dizer que chorei horrores, minha irmã até se assustou quando cheguei na sala com os olhos inchados xD.  Falei que era por causa do filme e ela já quer assistir no final de semana. Depois irei assitir novamente com a minha prima. Abaixo o trailer do filme:

 

E quem já conhece o famoso vídeo: Because I’m a Girl, é meio que impossível não fazer uma certa relação dos dois, tá as histórias são diferentes, mas eu lembrei muito do vídeo depois de assistir esse filme, mas deve ser pelo fato de os dois ter fotografias e eu ter chorado muito ao ver xD

Read Full Post »

 

           Informações Técnicas:

 

      Título no Brasil:  Across the Universe

      Título Original:  Across the Universe

      País de Origem:  EUA

      Gênero:  Musical / Romance

      Classificação etária: 10 anos

      Tempo de Duração: 133 minutos

      Ano de Lançamento:  2007

      Estréia no Brasil: 07/12/2007

      Estúdio/Distrib.:  Sony Pictures

      Direção:  Julie Taymor

 

 

 

 

Site Oficial:  http://www.sonypictures.com/movies/ acrosstheuniverse/

 

Esses dias, quando estava falando de Tokyo friends no msn com a danone naone, ela comentou sobre um filme já que eu gosto dos Beatles.

“Across The Universe”,  direção de Julie Taymor, é um musical/romance que conta uma história através das músicas dos Beatles, os atores cantam as músicas e as cenas se encaixam perfeitamente com a letra. Um jovem inglês chamado Jude vai até os EUA atrás de seu pai e conhece Max, sua irmã Lucy, Sadie, Jojo e Prudence (se você é fã dos beatles só nos nomes dos personagens tenho certeza que já identificou algumas músicas xD). O enredo envolve idéias revolucionárias, diferenças ideológicas, guerra, a história se passa no período conturbado da América do fim da década de 60.  Muitas pessoas irão achar o filme sem nexo algum, quem pensou assim talvez não tenha interpretado direto o contexto, tudo bem que ele é um tanto quanto psicodélico, mas retrata bem as letras das músicas. Acho que é obrigação de todo fã que se preze assistir e tirar suas próprias conclusões. Eu gostei, recomendo e agradeço à naone pela indicação. 

* Editado com as correções da mala da naone. *

 

Read Full Post »